dezembro 13, 2015

Uma linda borboleta ♥

Na publicação anterior eu disse que iria contar para voces minha experiência com o 'nascimento' de uma borboleta.
Pois bem, tudo se deu por um único motivo, e faço questão de deixar claro que, a melhor maneira da borboleta nascer é mesmo na natureza. Eu não tive escolha, quando vi as lagartas saindo da vegetação, eu já sabia que elas estavam procurando local para sofrer a metamorfose, ou seja, criar o casulo e virar borboleta mas, nos últimos tempo a coisa não anda indo bem, como voces podem ver em todas essas publicações que fiz AQUI.
E, ainda havia um agravante, as lagartas estavam indo em direção errada, as únicas duas que existiam ali naquela hora estavam indo em direção ao meio da rua ! Além de passar carros, com o calor que faz todos os dias, algo em torno de 31 °C , acredito que o asfalto poderia facilmente estar com temperatura muito mais alta, por certo iria 'fritar' as duas e, elas não chegariam a lugar algum.

* Aqui , faço uma observação muito importante, fora do assunto mas, ainda falando do bem estar dos animais. Voce que tem cães e, tem o costume de levá-los para passear durante o dia, tome muito cuidado !! Com os dias quentes e o sol atingindo altas temperaturas, os animais podem sofrer muito, primeiro porque eles não suam como a gente e, o calor pode facilmente provocar mal estar e até a morte deles. E, eles não tem sola de sapatos para proteger os pés de queimaduras ,  se voce não aguentar a temperatura do solo pisando descalço, evite que seu bichinho pise , afinal as almofadas das patinhas são pele. E, faça uma boa ação, ofereça água à um animal de rua, sede e desidratação judiam e matam também. 

Mas, voltando as lagartas, voce notou que eu disse que haviam duas, certo?


Coloquei as duas em um caixa plástica que, em minha falta de experiência, resolvi fazer igual o que  eu tinha visto em um borboletário. Mas, resolvi fazer vários furos em toda a borda , o que depois, fiquei sabendo não ser o melhor método mas, à princípio , funcionou.
Os furos são perigosos porque a lagarta pode tentar passar por eles e, claro se machucar muito.
O certo é usar a caixa mas, tampar a superfície com um tule. lembrando novamente que, a coisa certa a fazer é deixar que se transformem na natureza.

Uma das lagartas, logo no primeiro dia, já se grudou na tampa da caixa. 

A outra, não... embora ela não tenha aceitado a comida , digo a folhagem do qual se alimenta. Sendo assim, ela ainda ficou um dia ali parada mas, sem se preparar para formar casulo.
No outro dia, achei que ela estava estranha, então achei melhor solta-la e, deixar que o ciclo se completasse sem minha intervenção. Para amenizar os riscos , a coloquei no vaso que tenho em casa,  em que plantei a vegetação que elas comem. Tudo porque em uma época a manutenção das vias publicas feita pela prefeitura, retirou toda a hera que nasce no meu muro e, deixou várias lagartas sem o que comer, acabando assim com uma geração delas, resolvi pegar um ramo que sobrou e garantir que da próxima vez elas não morreriam por falta de comida ! Deu certo, ela ficou lá mais um pouco e depois se foi , fazer sua mutação em algum canto da minha casa.

Segundo li em pesquisa que fiz na internet, a lagarta da espécie Junonia Coênia leva exatos 10 dias para completar sua transformação. Então fui seguindo, dia após dia, o que estava mudando com ela, eu nunca tinha visto isso antes e achei tudo muito diferente do que eu imaginava e, aposto que voce também não imaginava isso que vou contar agora.

Fiquei então com uma lagarta já grudada na tampa do recipiente.
A primeira coisa que notei foi que, elas se grudam de cabeça para baixo, e usam uma seda que elas tecem, pela parte traseira do corpo,  para grudar. 

Uma das coisas que me surpreendeu foi que, elas não fabricam um casulo, como eu sempre achei que acontecia. Elas não tecem uma capa sobre o corpo nem nada assim. Elas simplesmente se transformam no casulo, essa é a primeira mudança que acontece no corpo da lagarta. Ela deixa de ser lagarta e vira isso:


Outra surpresa que eu tive foi saber que a cabeça da lagarta , durante o processo de formar casulo, solta do corpo !
Como eu disse, todos os dias eu olhava para ver como estava indo e, tomei um susto no dia que vi essa bolinha preta dentro da caixa, depois fui olhar melhor para saber o que era e, reparei que era a cabeça da lagarta.


Depois dessas surpresas, as coisas foram calmas e, pouca mudança acontecia do lado de fora do casulo. A única coisa que mudava era a cor, que aos poucos foi se tornando mais escura.
Eu tinha lido que ela iria demorar algo em torno de 10 dias para virar borboleta,  então marquei o dia que ela grudou na tampa da caixa como sendo o dia 1 , dia 26 de Outubro ...

... No dia 06 de Dezembro, segundo minha informação, deveria acontecer o 'nascimento' da borboleta.

 
Acordei nesse dia e a primeira coisa que fiz foi olhar a caixa, devo dizer que, eu já havia mudado o 'design' do berçário , coloquei a tampa aberta da caixa apenas apoiada nela e, cobri tudo com um tule e, estava fácil ver o casulo. Então, nada havia acontecido , comecei a achar que levaria mais tempo ou, na pior das hipóteses que eu tinha feito algo errado. Fiquei chateada , já pensando que eu tinha estragado tudo, que eu não deveria ter me metido. Mas, olhando melhor ( essa foto ai em cima) , percebi que dava para ver o desenho da asa da borboleta e, pensando bem, aquele era ainda o começo do 10 dia. Essa foto eu fiz exatamente naquele momento, poucos minutos antes de  ir tomar um banho. 
O susto e a surpresa !
Quando saí do banho,  Olhei pra caixa e, o que aconteceu ??!!

O casulo tinha mudado de cor e, não vi nada em volta! Como era possível ?
Alguns poucos minutos atrás estava diferente e, a caixa estava coberta com o tule, cadê a borboleta ?

Olhando melhor, consegui ver o rapazinho alado paradinho ali , quietinho ... estava preparando suas asas.  Como sei que era menino? Porque segundo a literatura que encontrei, os machos dessa espécie tem o torso azul.
E, segundo a literatura, as borboletas precisam de umas duas horas , após sair do casulo, para 'secar' suas asas para então poder voar. E, é exatamente durante esse processo que os acidentes acontecem e, as asas ficam danificadas. Uma vez que elas deformam, a borboleta não consegue voar, sendo assim, não conseguem se alimentar, não procriam e não cumprem seu papel na natureza que é, entre outras coisas, embelezar a vida !

Descobri que, realmente, o termo secar as asas esta certo. Não é modo de dizer, como eu pensava antes. Para mim, o que acontecia era que as asas nasciam molinhas e elas precisavam de um tempo para endurecer mas, na verdade, a borboleta nasce molhada e, as asas são delicadas mesmo e, molhadas. Veja a prova disso nessa foto aqui em baixo, esse líquido marron estava no lugar onde ela tinha ficado parada por quase duas horas antes de descer para o fundo da caixa, mexendo as asas, abrindo e fechando.

  
 Foto do casulo vazio ... ela trocou essa roupa por essa outra aqui, olha que linda !!

E, depois disso, só me restou fotos e a felicidade de ter visto isso acontecer porque, assim que percebi que ela estava pronta para voar, fui até a janela de meu quarto e, libertei essa lindeza, com asas plenas e pronta para dar continuidade em sua espécie.
Adeus menino lindo !  ♥  




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Não seja timído , deixa um recadinho ;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails