abril 21, 2014

As Mil e Uma Noites e BookCrossing

Este ano decidi fazer uma coisa diferente para o BookCrossing Blogueiro, a 8° edição do evento e a minha 5° participação.

Desde o começo, eu libertei apenas um livro de cada vez e, sempre um que tivesse pertencido a mim.
Eu pensei sim e, por todas as vezes, comprar um livro de segunda mão e deixar por ai mas, então não haveria o sentimento de desapego, porque não tenho vínculo nenhum com o livro e, enquanto isso, os meus livros que estão lá parados nas prateleiras, gavetas e cantos da casa, continuariam lá.
Não sei exatamente a razão disso mas, acho que era o certo à fazer, ao invés de,  ir ali comprar no sebo para doar, doar algo meu ... libertar!
Dos meus livros, cada um que vai tem uma história ... é sempre difícil mas, no final é tão libertador.
Tal qual  o livro liberto, passa a ser minha, a história viajando por ai aos olhos de outros leitores.

Este ano, motivada por alguns fatores, resolvi que libertaria mais que um livro, na verdade, uma edição de luxo contendo dois exemplares.

Para contar como foi, vou antes falar de um período de minha vida.

" Teve início em 1993, já se passaram quase 14 anos !
Tinhamos um grupo de quatro mulheres, amigas até os dias de hoje...
Atualmente três são casadas e com filhos...adivinha quem ainda está solteira e sem filhos? Mas, ainda gosto disso...de ser assim.
Bom, voltando a dança, aqui tem fotos de nossa primeira apresentação pública, tem fotos das festas que fizemos e que tiveram maior significado para mim.
Atualmente não danço com frequência, o que é uma pena poís, é delícioso dançar.
Mas, essas amigas continuam amigas e sempre nos encontramos e fazemos coisas legais juntas.
Momentos felizes de minha vida!
A minha primeira apresentação pública, festa Árabe realizada aqui em São Paulo, primeira edição do "Mercado Persa" , essa festa é realizada até hoje, atualmente no Clube Sírio. " 
- Publicação feita aqui mesmo no blogue em 21 de outubro de 2007, infelizmente o google sumiu com as fotos postadas.
Essas mulheres que menciono ainda são minhas amigas, das quatro, apenas uma continua a se apresentar em eventos. 
Para a maioria das mulheres que caminha pelo aprendizado e arte da dança do ventre, fica muito forte a vontade de desvendar a cultura Árabe. Muitas aprendem até o idioma!
 
Um dia antes da data começo dessa edição do BookCrossing , eu ainda não tinha certeza do livro que iria libertar. Porém, vi uma foto de uma amiguinha que me chamou a atenção e, naquele momento eu decidi qual seria o livro e, que ele teria destino certo.
Jennifer  eu conheci namorando com o meu cunhado, hoje eles estão amigos ( penso que logo namorados outra vez... quem sabe? ).
Ela começou na arte da dança do ventre e, esse ano fez sua primeira apresentação pública.  Vi algumas fotos do evento e, como aluna tenha certeza que sua busca pelo conhecimento da cultura esta fervilhando. Para adicionar mais fervor, ela é bibliotecária de profissão.
Imagina o que isso vai dar?

O rapaz já ficou animado quando eu contei para ele sobre o evento, e o que eu iria fazer. Ele disse que ela iria adorar e, tenho certeza disso!
Ele ficou com os livros para  entregar para Jennifer. O esperto já queria esperar o dia dos namorados pra fazer a entrega...  ( não te disse??).
Então, essa é minha participação na 8° edição do BookCrossing Blogueiro.
Libertei As Mil e Uma Noites , edição  com dois exemplares, caixa e capa todo trabalhado e com detalhes em gotas douradas, por si só um luxo!




" O que contém as Mil e Uma Noites
O verdadeiro livro das Mil e Uma Noites, na sua forma completa, não é obra cuja leitura possa ser aconselhada para crianças ou adolescentes. É um livro profundamente contra-indicado  sobre vários aspectos , pois muitos dos seus contos foram imaginados com a finalidade exclusiva de divertir adultos.
Esse livro, que a saudosa poetisa Cecília Meireles Considera glorioso, encerra em suas páginas senões bem graves: erros e anacronismos. 
Quando observado numa tradução, não escoimada da parte obscena, vamos encontrar na imensa cadeia das Mil e Uma Noites: 
Contos Maravilhosos e de aventuras;
contos de amor e intrigas de namorados;
romances de viagens;
aventura de cavalaria e guerra;
lendas fantásticas cheias de crueldade;
cenas de zombaria contra judeus e cristãos;
contos do gênero policial;
anedotas brejeiras e pornográficas;
episódios fantásticos e obscenos;
lutas religiosas;
parábolas e apólogos;
fábulas;
histórias de erudição ( até com problemas de matemática).
E, todos os capítulos são enriquecidos por delicados trechos poéticos nos quais transparece a  beleza, a suavidade e o encantamento dos versos árabes." - ( parte da apresentação do livro aos leitores)



Livro denso, merece uma leitura calma para absorver os detalhes. Confesso que nem sempre achei sua leitura agradável, nessa lista ai de cima, eu acrescentaria conotação machista em quase todo o livro mas, acho que nem precisa né? 
Os contos são narrados por Cheherazade ( como esta escrito no livro) para o rei da Pérsia  todas as noites, para que o destino de muitas mulheres não fosse a morte certa.



" Chahriar ordenou ao grão-vizir que levasse a filha de um dos seus generais do exército. O vizir obedeceu-lhe. O Sultão dormiu com ela, e no dia seguinte, entregando-a para morrer, ordenou-lhe que procurasse outra para o dia seguinte. Por maior que fosse a repugnância do vizir em executar semelhantes ordens, como devia obediência cega ao sultão, viu-se obrigado a submeter-se. ... Enfim, todas as noites casava-se uma donzela e todos os dias morria uma mulher. "

O Vizir era pai de Cheherazade, moça inteligente , culta e aplicada nas artes e estudos, além de grande virtude e beleza extraordinária. Um dia , em uma conversa :

" - meu pai, peço-vos uma graça, e suplico-a muito humildemente.
   - Não te recusarei _ respondeu ele_, se for justa e razoável.
   - Mais justa não há, e vós podereis julgar o que vos afirmo pelo motivo que me obriga a solicitá-la. Pretendo deter a barbaridade do sultão sobre as famílias da cidade. Quero eliminar o justo temor que tantas mães tem de perder suas filhas de modo tão terrível. "



E, assim começa a história, Cheherazade casa com o sultão e não morre no dia seguinte porque , o sultão quer ouvir sua narrações, e sempre continua na próxima noite. Cheherazade à cada noite narra um conto e, assim segue durante As Mil e Uma Noites...







4 comentários:

  1. Oi, Cíntia!
    Fez um belo exercício de desapego e está corretíssima no seu modo de pensar. De certa forma, o desapego nos torna mais livres, pois deixamos de dar valor a coisas que não são essenciais para vivermos bem. Os livros cumpriram sua função e deixarão saudades, assim como sente daquela época. Ciclo que se fecha! :D E você faz outras pessoas felizes com essa libertação. Olha só a carinha de satisfação!
    Obrigada por participar mais uma vez do BookCrossing Blogueiro!
    Uma pena que as fotos não apareceram. Já olhou diretamente no picasa?
    Beijus,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luma, fico feliz com seu apoio, bom saber que me compreende! Pode parecer bobagem, porque sei que, assim eu limito o número de livros a serem libertos mas, realmente o significado da coisa , para mim , tem que ser esse. Veja, no começo foi um livro de cada vez, agora já foram dois... progresso! ...rs
      E, sim, já vi direto no picasa , mas elas aparecem lá da mesma forma que na publicação, um quadrado com um " ! " ... :(
      Elas foram publicadas antes de eu mudar o endereço do blog e fazer a transferencia de tudo mas, tem outras fotos antes delas que aparecem normal, sei lá o que aconteceu.
      beijos e bom final de semana

      Excluir
  2. pretty nice blog, following :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you Skyline Spirit, be welcome! ;)

      Excluir

Olá! Não seja timído , deixa um recadinho ;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails